sexta-feira, 9 de junho de 2017

RESISTÊNCIA AOS ANTIBIÓTICOS - um risco para o futuro

Sabes que há regras a cumprir quando tomamos antibióticos.
Mas, como nem toda  agente as cumpre, há bactérias que começam a habituar-se a alguns antibióticos e tornam-se cada vez mais fortes. Ficam resistentes a esses antibióticos.
Tens uma doença provocada por uma bactéria e o médico receitou-te um antibiótico?
Deves tomar:
  • a dose receitada
  • no intervalo de tempo indicado (8 em 8 h ou 12 em 12 h, ...)
  • até ao fim.
Retirado aqui


Por que razão há bactérias resistentes aos antibióticos?

1. Tomar antibióticos sem receita médica  - Tomar antibiótico para qualquer coisa – sem o pedido médico – é um dos maiores perigos. 

2. Os antibióticos (e todos os outros medicamentos)  fora de prazo devem ser entregues na farmácia - remédios deitados na pia, na sanita ou no lixo, podem entrar em contacto com bactérias, tornando-as mais fortes. Entregue-os na farmácia.

3. Criação de animais - muitos produtores exageram na aplicação de medicações que afastam as bactérias dos animais e até das plantações. 

Como as nossas mãos estão sempre em contacto com superfícies com micróbios perigosos, a melhor maneira de acabar com bactérias patogénicas é lavando as mãos.

domingo, 4 de junho de 2017

VACINAS - por que razão são importantes à nossa saúde?

Parece muito complicado mas é simples ...
Sabes que os microrganismos que provocam doenças são chamados patogénicos e podem ser mais ou menos "fortes"; os glóbulos brancos conseguem combater os microrganismos "menos fortes" mas, nem sempre é fácil combaterem os mais "fortes". Por isso mesmo é que os glóbulos brancos precisam da ajuda de uns amigos especiais, os anticorpos, que o nosso organismo produz contra cada uma dessas doenças. 
É o que acontece quando temos gripe - ficamos com febre alta, dores no corpo, mal estar, etc. - enquanto o nosso corpo produz os anticorpos; de seguida os anticorpos combatem os vírus dessa gripe, a febre e os outros sintomas passam e ficamos de novo bem. Devido a este processo ganhamos imunidade de forma natural contra essa doença, o que significa que passamos a estar protegidos e, se no futuro estivermos em contacto com alguém que tenha essa gripe, não ficamos doentes. Os anticorpos guardados combate logo o vírus da gripe.

Com as VACINAS é semelhante ... 
Para muitas crianças é a "pica" de que têm medo. 
Mas o que são afinal as vacinas e para que servem? São constituídas por microrganismos patogénicos mortos, enfraquecidos ou pelas suas toxinas, que os glóbulos brancos detectam pensando que são microrganismos vivos e fortes; enganados desta forma, levam o organismo a produzir os tais amigos especiais, os anticorpos específicos contra os microrganismos patogénicos que estavam na vacina. 
O resto já sabes ... logo que os anticorpos sejam formados a pessoa fica protegida contra essa doença ou seja ganhou imunidade de modo artificial, contra essa doença.
Queres saber mais? Indica as tuas dúvidas ... podes escrever em comentários.

Agora já sabes que as vacinas evitam as doenças e protegem as pessoas do sofrimento e da morte.  Percebes, com certeza, por que motivo devemos ter as vacinas em dia e cumprir o Programa Nacional de Vacinação. 
É importante que mostres este esquema aos teus pais e avós pois, ao longo da vida, têm de fazer  a vacina contar o tétano: de 20 em 20 anos até aos 65 e depois dos 65, de 10 em 10 anos.

Siglas utilizadas para a designação das vacinas (Portugal):

VHB - vacina contra Hepatite B; DTPaHibVip - vacina pentavalente contra Difteria, Tétano, Tosse convulsa, Poliomielite e Hemophilus influenzae b; DTPaHibVIPVHB - vacina hexavalente contra Difteria, Tétano, Tosse convulsa, Poliomielite, Hemophilus influenzae b e Hepatite B; DTPaHib - vacina contra Difteria, Tétano, Tosse convulsa e Haemophilus influenzae b; DTPaVIP - vacina contra a Difteria, Tétano, Tosse convulsa e Poliomielite; MenC - vacina contra Neisseria meningitidis C (meningite); VASPR - Vacina contra sarampo, papeira e rubéola; HPV - Vacina contra vírus do Papiloma humano [(a) apenas para raparigas]; Td - Vacina contra o tétano e a difteria.

Se és rapariga é importante que percebas por que motivo deves ser vacinada contra as seguintes doenças:
  • Rubéola - vacinar uma rapariga contra a rubéola permite que o seu organismo produza anticorpos especiais contra este vírus evitando assim a doença; o vírus da rubéola é muito perigoso se uma mulher grávida for contagiada pois o feto (bebé que está a formar-se) pode vir a sofrer de problemas auditivos (surdez, etc.) ou alterações na parte neurológica (sistema nervoso) e motora (movimento). 
  • Vírus do Papiloma Humano (HPV) - a vacina é gratuita, deve ser feita entre os 10 e os 13 anos e vai permitir que o teu organismo produza anticorpos especiais contra o HPV, criando defesas contra o cancro do colo do útero, uma doença cada vez mais frequente nas mulheres.   
Sabes por que motivo morreu uma jovem de 17 anos? Por não ter a vacina contra o sarampo

Vê o filme para perceberes melhor como atuam as vacinas: Era uma vez  vida: a vacinação.
As escolas colaboram na identificação de alunos que não têm as vacinas em dia. 
Verifica o teu Boletim de Vacinas. Está actualizado? Quando é que tens de fazer a próxima vacina?

E, se um dia estiveres doente, podes tirar dúvidas através da Linha Saúde 24 (808242424).

domingo, 28 de maio de 2017

DEFESAS CONTRA MICRORGANISMOS PATOGÉNICOS: Nossas Batalhas

COMO SE DEFENDE O NOSSO ORGANISMO DOS MICRORGANISMOS PATOGÉNICOS?

Alguns microrganismos patogénicos chegam muito facilmente até nós. O contágio, que é a transmissão do microrganismo de uma pessoa doente para outras pessoas, faz-se pelos espirros, pelo ar, pelas superfícies (corrimão, maçaneta das portas, tampo das mesas, etc.), pelos alimentos, pelas mãos, etc.
Quem está bem alimentado, de acordo com a Roda dos Alimentos, e dorme bem todas as noites, tem as suas defesas naturais fortes (sistema imunitário) facilmente vence a doença. Somos protegidos por:
Defesas externas (barreiras à entrada de microrganismos) – pestanas, sobrancelhas, pelos do nariz, pele, lágrimas, saliva, as mucosas (interior do nariz, ...), etc.
Defesas internas – glóbulos brancos  e anticorpos. E gânglios linfáticos.

Quando os microrganismos conseguem atravessar as defesas externas, começam a atuar as defesas internas.
Como atuam os glóbulos brancos?

Quando cais e fazes uma ferida na pele, ou quando comes um alimento com microrganismos,  os glóbulos brancos atravessam os vasos capilares sanguíneos e vão ao encontro dos microrganismos, fazendo a diapedese (atravessa o capilar) e a fagocitose (ataca e come o microrganismo).
Imagem aqui



Como atuam os vírus? Como nos defendemos deles?
Os vírus invadem (atacam) as nossas células, reproduzindo-se rapidamente, atuando como parasitas do nosso corpo. Mas, se estivermos saudáveis (bem alimentados e descansados), as defesas internas atuam rapidamente. 
Quando os glóbulos brancos se apercebem que entramos em contacto com o vírus de uma doença, dão sinal de "alarme" ao sistema imunitário, que inicia a produção de anticorpos específicos contra essa doença. São defesas especiais para combater cada um dos vírus que nos "ataca".
Durante esses dias, em que os anticorpos especiais contra essa doença são produzidos,  temos os respetivos sintomas: febre alta, dores de cabeça, dores musculares, pintas, feridas, manchas ou outro sintoma específico. Depois, os anticorpos específicos atacam o vírus, ganham o combate e os sintomas da doença desaparecem. Ficam guardados os anticorpos específicos contra essa doença. E, se um dia mais tarde estivermos novamente em contato com esse vírus, as defesas atuam rapidamente e não ficamos doentes.
Mas, se  pessoa não está bem alimentada e descansada, o seu organismo fica com poucas defesas e não consegue fabricar anticorpos rapidamente. Então as bactérias que existem no ar também atacam o organismo e surgem outras doenças ao mesmo tempo. Por isso há quem tenha pneumonia depois de uma gripe, do sarampo, da varicela, etc. E há quem morra por não ser tratado a tempo.

Para perceberes as notícias dadas na televisão, em noticiários e em filmes, sobre doenças transmitidas por microrganismos, é necessário conhecer os termos que usam sobre questões de saúde. Se já és capaz de perceber termos como contágio, viroses, anticorpos, vacinas, epidemias e pandemia, SIDA, etc. ... é porque os teus conhecimentos sobre saúde (literacia da saúde) estão a melhorar.

Para saber mais podes ver os filmes:

quarta-feira, 24 de maio de 2017

MICRORGANISMOS PATOGÉNICOS? Não, obrigado!

Já sabes que os microrganismos patogénicos são os que provocam doenças. Como por exemplo:
Não esqueças: 
  • as mãos mal lavadas são o paraíso dos microrganismos;
  • lavar as mãos com frequência é a melhor forma de evitar o contágio pelos microrganismos patogénicos.


segunda-feira, 22 de maio de 2017

MICRORGANISMOS ÚTEIS

Há quem pense que todos os microrganismos causam doenças, o que não é verdade.
Há, efetivamente, microrganismos úteis ao Homem e ao ambiente, tal como:
  • Os que permitem a produção de alimentos, como o iogurte, o queijo, o pão, o vinho, etc.
  • Os que transformam a matéria orgânica do solo (folhas, raízes, etc.) num material semelhante ao solo, o húmus. Terminam o "trabalho" das minhocas, bichos-da-conta, lesmas e outros organismos do solo.
  • Os que participam no tratamento biológico das águas residuais (esgotos domésticos) e permitem que a água suja que chega à ETAR se transforme em água limpa que é lançada nos rios;
  • Os que produzem as vitaminas, antibióticos e vacinas.
  • Os que produzem biogás.
  • etc.
Para "veres" como atuam os microrganismos úteis podes fazer iogurte e croissant:
Queres fazer iogurte em casa?
  • Compra um iogurte natural (contém lactobacilos) e mistura com 1litro de leite morno. 
  • Coloca num saco térmico para manter o leite morno.
  • 8 horas depois o leite está transformado em iogurte.
Queres fazer croissant em casa?

quarta-feira, 10 de maio de 2017

MICRORGANISMOS - os seres vivos que só vemos com o microscópio

Quem descobriu os microrganismos?
Antonie van Leeuwenhoek em (1632-1723) era um negociante holandês que trabalhava com tecidos e que usava lentes de aumento para observar com pormenor os fios. Como era um homem muito curioso usou as lentes para observar outros materiais – água de rios, resíduos que retirava dos seus dentes, etc. -  e construiu um aparelho para facilitar  a observação. Esse foi o primeiro microscópio. Observou seres que se movimentavam, a que chamou animáculos.
Leeuwenhoek escreveu várias cartas aos “cientistas” da época, em que informava que conseguiu ver seres que não se viam a olho nu, uns em forma de esferas e outros em forma de bastonetes.

Durante séculos pensou-se que as doenças eram provocadas pelo ar ou pelo facto de as pessoas terem sangue “ruim” (sangue mau). Só depois da descoberta do microscópio foi possível observar a presença de microrganismos em vários materiais e perceber a causa de algumas doenças.
Só bastante mais tarde, no séc XIX, o químico francês Louis Pasteur (1822-1895) e o médico alemão Robert Koch (1843-1910), descreveram que havia seres muito pequenos que só se viam com o microscópio - as bactérias - e que eram causadoras de doenças. Hoje sabe-se que nem todas as bactérias causam doenças.

Pasteur inventou um modo de destruir microrganismos à custa de temperaturas muito elevadas, que ficou conhecido por pasteurização.

Koch descobriu a causa de doenças, como por exemplo da tuberculose. Por isso a bactéria que causa  a tuberculose ficou conhecida  como bacilo de Koch.
Os microrganimos são seres vivos tão pequenos que só podem ser vistos com a ajuda do microscópio. 

O que é a microbiologia?
É a ciência que estuda os microrganismos. É um ramo da Biologia.
Os microrganismos mais pequenos (vírus) foram os últimos a serem descobertos, pois foi necessário microscópios especiais, com grande poder de aumento, para os conseguir observar.
Hoje conhecem-se vários tipos de microrganismos:
  • PROTOZOÁRIOS - unicelulares. Pertencem ao reino Protista e podem ter várias formas. A maior parte vive em ambiente aquático. Muitos são parasitas de plantas e de animais, causando doenças. Exºs: a giárdia; a leishmania (transmitida por um mosquito que se desenvolve em água parada e infeta animais quando os pica);  a toxoplasmose, transmitida pelos gatos, que causa malformações no feto.
  • FUNGOS - só os fungos unicelulares são microrganismos (há fungos pluricelulares como os cogumelos).  Pertence ao reino Fungi. Uns provocam doenças,  como o fungo que causa o pé-de-atleta (uma micose) e outros que nos ajudam a produzir alimentos: a levedura do pão, que transforma a farinha em pão ou a levedura do vinho que transforma o sumo de uva em álcool.
  • BACTÉRIAS - unicelulares. Pertencem ao reino Monera. Uns provocam doenças (infeção da pele, tuberculose, gastroenterites, meningite, etc.) e outros ajudam-nos a produzir alimentos (transformar o leite em iogurte) a fazer a compostagem (transformar restos animais e vegetais em húmus), 
  • VÍRUS - São os microrganismos mais pequenos e só podem ser vistos ao microscópio eletrônico. Causam doenças como: gripe, sarampo, varicela, rubéola, parotidite (papeira), hepatite, SIDA, etc.